quinta-feira, 28 de abril de 2011

HOMENS GROSSEIROS = MULHERES EM DEPRESSÃO

Pesquisa revela que maridos grosseiros podem agravar os sintomas de depressão das mulheres.


De acordo com recente estudo norte-americano, parceiros mais grosseiros e individualistas são capazes de agravar os sintomas depressivos de suas esposas. Desenvolvido pela Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, a pesquisa revelou que o desenvolvimento da depressão em mulheres casadas pode estar estritamente ligado ao tratamento hostil do marido.

Segundo Christine Proulx, professora assistente do Departamento de Desenvolvimento Humano e Estudos da Família da Universidade de Missouri, quanto maior a agressividade dos maridos, maior se tornava a possibilidade de um quadro depressivo em suas esposas após três anos de relacionamento.

Por outro lado, quando o comportamento mais hostil vinha do sexo feminino, o mesmo não acontecia com os homens. No caso deles, a depressão se tornava maior com outros acontecimentos, como uma morte na família ou uma demissão.

Geraldo Possendoro, psicoterapeuta e professor de Medicina Comportamental da Unifesp, explica esta diferença.

Segundo o especialista, o marido que é mais nervoso, individualista e mais rude, pode se tornar num fator estressor para a esposa. “Simplesmente por serem mulheres, elas já apresentam maior vulnerabilidade do que os homens para a depressão, é biológico. As mulheres possuem o dobro de chance de terem depressão do que os homens. E o comportamento masculino pode colaborar para isso”, explica.

Eles não percebem

Margareth dos Reis, terapeuta sexual e de casal do Instituto H. Ellis, em São Paulo, concorda que essa maior vulnerabilidade das mulheres existe. Muitas vezes, elas acabam sucumbindo a um relacionamento que não proporciona o que ela espera. De acordo com a terapeuta, a maioria dos homens não foi educada para escutar os próprios sentimentos e tampouco suprir as expectativas do que uma mulher gostaria de receber. “Para que dê certo, estas características precisam ser desenvolvidas na relação”, explica.

A terapeuta ainda diz que, muitas vezes, o marido acaba agindo de forma mais grosseira, insensível, sem imaginar o que isso pode provocar na mulher. “Pode ser que ela seja somente mais vulnerável mesmo, mas há também casos de relacionamentos que não são saudáveis de fato”, completa.

Para descobrir o quanto o comportamento mais hostil dos homens afetava as esposas, os pesquisadores norte-americanos assistiram e desvendaram vídeos de 20 minutos de distintos casais interagindo em suas casas. Proulx, então, revela que é fundamental que os profissionais da área perguntem às pessoas que sofrem de depressão sobre o relacionamento delas. “É importante intervir no casal e fazer com que os cônjuges estejam cientes de que o comportamento desenvolvido entre eles possui um efeito duradouro no bem-estar”, afirma.

No entanto, não é somente dentro de casa que atitudes mais hostis podem interferir na saúde emocional da mulher, mas em qualquer relacionamento. “No ambiente de trabalho, por exemplo, uma pessoa pode sofrer com atitudes mais agressivas e ser desrespeitada”, afirma Margareth. “Quando você possui uma relação com alguém que não demonstra o seu valor, sentimentos de tristeza e insatisfação são potencializados”, afirma.

Dados atuais

No final de 2009, a Organização Mundial da Saúde revelou que a depressão se tornaria a doença mais comum até o ano de 2030.

Atualmente, há aproximadamente 121 milhões de pessoas afetadas pelo problema ao redor do mundo.

Fonte: IG São Paulo